Por que Adriana teve que morrer em The Sopranos

Adriana La Cerva (Drea de Matteo) é o tema de um dos Os Sopranosmais mortes trágicas, mas precisava acontecer. Como um dos poucos personagens principais não diretamente na máfia, Adriana sabia o suficiente sobre os negócios internos da máfia como namorada que virou noiva de Christopher (Michael Imperioli) para ser usada como informante do FBI. O destino de Adriana como informante do FBI foi selado com sua amizade com Danielle (Lola Glaudini), que acabou sendo a agente especial Deborah Ciccerone disfarçada. Quando Deborah se revela, o FBI encurrala Adriana para se tornar uma informante para evitar a prisão por distribuição de drogas em sua boate, Crazy Horse.

Ser uma informante do FBI corrói Adriana com extremo estresse, mas ela continua esperançosa de que o FBI possa cumprir sua promessa de tirar ela e Christopher da vida da máfia. Tentando evitar um destino dado a outros informantes como Os Sopranos’ Jimmy Altieri ao dar apenas informações que não considerou cruciais, Adriana espera poder apaziguar os dois lados. Infelizmente, seus esforços são inúteis, já que Tony Soprano (James Gandolfini) acaba descobrindo e dá um golpe nela. Como muitas mortes da máfia, há um encobrimento do desaparecimento de Adriana que insiste que ela terminou seu noivado com Christopher e se mudou.

Encontrando maneiras que ajudaram a si mesma e Christopher a criar uma vida melhor, Adriana foi uma das poucas mais altruístas Sopranos personagens. Por essa razão, ela criou uma sensação de esperança de que se possa sobreviver ao mundo da máfia implacável. Por esse motivo, sua morte se torna ainda mais devastadora. No entanto, a morte de Adriana em Os Sopranos ressalta que, apesar de ser cuidada por superiores como Tony e Christopher, mesmo Adriana não está imune às tendências corruptas e perigosas da máfia. Os Sopranos observa como seguir o código da máfia matando Adriana mostra como o código é corrupto e imutável, mesmo quando cria mais consequências do que erradica.

leitura  Por que Anatomy Of A Scandal's Finale Twist foi tão controverso (e antiético)

A sobrevivência de Adriana teria criado uma mensagem inteiramente nova sobre a máfia que Os Sopranos nunca pretendeu criar. Um dos pontos mais importantes que Os Sopranos faz é quão inescapável é a máfia, seja devido aos crimes acumulados que alguém tem que cometer enquanto serve na máfia ou à prisão mental abusiva que ela cria para os adeptos. Às vezes as pessoas encontram um pertencimento natural no mundo da máfia, como Os Sopranos’ Furio (Federico Castelluccio), mas Adriana representa alguém que ainda é afetado negativamente pela máfia, apesar de ocupar uma posição de fora. Se Adriana estivesse viva, teria recebido seu desejo de fugir, o que Os Sopranos argumenta não é viável.

Provando a inviabilidade de tal fuga do mundo da máfia, Os Sopranos configura a impossível logística da sobrevivência de Adriana bem antes de sua morte. Dentro Os Sopranos 1ª temporada, episódio 5 “College”, Tony sai do seu caminho durante uma viagem de turismo universitária com Meadow (Jamie-Lynn Sigler) para matar um informante do FBI que entrou no Programa de Proteção a Testemunhas. Da mesma forma, o Programa de Proteção a Testemunhas não protegeria Adriana de ser caçada pela máfia. Apenas um Sopranos Informante do FBI, Ray “Arraia Búfala” Curto (George Loros), não sofre as consequências habituais de um rato da máfia, mas só se torna a exceção à regra porque morre de um derrame antes que a máfia descubra seu segredo. Por isso, a morte de Adriana em Os Sopranos não era apenas lógico para seu arco, mas também estava alinhado com os temas principais do programa.

leitura  Super-herói pode consertar o principal problema de Dragon Ball Super de Goten e Trunks

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

aleatório

Hipoteca também é conhecida como "empréstimo garantido por casa" ou "refinanciamento de propriedade". É um tipo de empréstimo em que o devedor coloca um imóvel como garantia para garantir o pagamento da dívida.