Os 10 melhores filmes de Diane Keaton, segundo o Letterboxd

O novo filme de Diane Keaton, Mac & Rita, acaba de sair em 12 de agosto, e os fãs do trabalho da atriz têm motivos para comemorar enquanto refletem sobre os melhores filmes de sua carreira, até agora. Ela forneceu ao público uma enorme variedade de projetos diferentes e, embora alguns tenham sido melhores que outros, ela sempre ofereceu performances excelentes.

Embora a carreira de Keaton tenha desacelerado compreensivelmente nos últimos anos, houve um tempo nos anos 70 e 80 em que ela era um dos nomes mais procurados de toda Hollywood – e isso não acontece sem estrelar alguns grandes filmes. .

10 O Mistério do Assassinato de Manhattan (1993) – 3.6/5

Mistério do assassinato de Manhattan vê os colaboradores de longa data Diane Keaton e Woody Allen retornarem para mais uma comédia baseada em Nova York – desta vez focando na investigação amadora do casal de um homicídio local, que causa frações entre os dois enquanto competem para resolver o enigma.

Embora não seja o filme mais aclamado ou prestigiado de Allen, Mistério do assassinato de Manhattan é um dos seus mais divertidos, até agora. Marca um afastamento de seu estilo habitual, oferecendo uma visão muito mais alegre e menos romantizada do mundo.

9 Jogue de novo, Sam (1972) – 3.7/5

Diane Keaton sorri desajeitadamente da porta

Um dos primeiros filmes de Diane Keaton, Herbert Ross’ Jogue de novo Sam é uma grande comédia sobre a vida de romance fracassado de um homem, antes que ele se inspire na personalidade taciturna de Humphrey Bogart e receba lições de amor de seus amigos mais próximos.

Jogue de novo Sam é um daqueles raros filmes de comédia dos anos 70 que continua hilário hoje, com muito do humor e a maioria das performances surpreendentemente bem. A maneira como isso reflete na carreira de Bogart (particularmente seu papel em Casablanca) é extremamente criativo e faz uma boa mudança de ritmo.

8 Interiores (1978) – 3,7/5

Interiores 1978 Woody Allen

Diane Keaton contracena com uma enorme seleção de atrizes talentosas em Interiores, incluindo Geraldine Page, Kristin Griffith e Mary Beth Hurt. O filme narra o divórcio confuso entre a personagem de Page, Eve, e seu marido, Arthur, que tem efeitos devastadores na vida de suas filhas adultas.

Interiores foi uma das primeiras características dramáticas de Woody Allen e, mais notavelmente, o primeiro de seus filmes em que ele não apareceu. Ele tem todas as marcas registradas de um filme típico de Woody Allen, incluindo o melodrama baseado em personagens e a direção imersiva.

7 Dias de Rádio (1987) – 3.7/5

Dias de Rádio Dianne Wiest

Mais uma vez dirigido por Woody Allen, Dias de rádio é um filme muito mais cômico que gira em torno da história de uma família em particular, contada através da perspectiva anedótica de um homem mais tarde na vida. Keaton contracena com Mia Farrow, Seth Green e Dianne Wiest.

leitura  Bar Rescue: 10 episódios mais dramáticos

Enquanto Dias de rádio pode não ser o melhor filme de Allen, é reconhecidamente um dos mais criativos. Em cada uma dessas histórias, contadas a partir da perspectiva de um homem enquanto ele relembra sua vida, o rádio desempenha um papel distinto no desenvolvimento dos relacionamentos. É uma maneira incomum de contar um filme, mas mostra o estilo de escrita criativa de Allen.

6 Vermelhos (1981) – 3,8/5

Warren Beatty em Reds 1981

Vermelhos é frequentemente citado como uma das maiores histórias românticas da década de 1980, e a atuação principal de Diane Keaton desempenha um grande papel nisso. Ela interpreta a famosa escritora Louise Bryant, que se apaixonou pelo lendário jornalista americano John Reed. Embora o filme se concentre principalmente no personagem de Reed, o relacionamento deles desempenha um papel importante em sua vida.

Muitas pessoas acreditam Vermelhos ser uma das melhores cinebiografias já feitas e, embora ‘biografia’ não fosse realmente um termo usado em 1981, certamente se enquadraria nesse critério hoje. A forma como apresenta a vida de Reed é incrivelmente criativa, interpretada (e dirigida) com perfeição por Warren Beatty.

5 Amor e Morte (1975) – 3.8/5

Amor e morte foi a primeira tentativa de Woody Allen em um filme de guerra/comédia e, embora nem todos os aspectos tenham envelhecido perfeitamente, ainda é um exame emocionante da guerra e da falta de autonomia que ela exige. Como muitos dos primeiros filmes de Allen, possui um roteiro afiado que coloca a sociedade e seus ideais em julgamento.

O papel de Diane Keaton no filme é um dos mais interessantes até agora – interpretando a amada prima do protagonista de Allen, ela é a responsável por questionar suas opiniões sobre os militares russos quando ela o procura com um esquema desonesto. Ela é incrivelmente divertida de assistir no papel, e seu personagem serve a um propósito claro que ela navega de forma eficaz.

4 Manhattan (1979) – 3,9/5

Outra comédia romântica dos anos 1970, Manhattan conta a história de um escritor de televisão de meia-idade que se apaixona por uma adolescente – mas as coisas ficam ainda mais complicadas quando ele começa a desenvolver sentimentos pela amante de seu melhor amigo. Embora Manhattan certamente não envelheceu bem, ainda foi aclamado na época por seu roteiro inovador.

Keaton oferece uma ótima atuação no filme, mesmo que o romance central pareça desconfortável hoje. Ainda assim, não há como negar o ofício técnico em exibição em Manhattane a cinematografia ainda parece surpreendentemente ótima.

leitura  10 reality shows cancelados precisam retornar, de acordo com Reddit

3 Annie Hall (1977) – 4.0/5

Annie Hall Woody Allen

Annie Hall é sem dúvida um dos filmes mais famosos de Diane Keaton, até agora, e sua popularidade é igualada apenas por sua qualidade. Com um roteiro filosófico e em camadas, juntamente com uma ampla exibição de habilidade técnica, Annie Hall é um dos filmes mais cativantes e envolventes da filmografia de Keaton.

A história segue a protagonista titular enquanto ela se apaixona por um comediante de Nova York chamado Alvy Singer – exceto que, em vez da estrutura tradicional, o filme é contado a partir da visão auto-reflexiva de Alvy após o término do romance, enquanto ele contempla seus muitos erros e arrependimentos.

2 O Poderoso Chefão: Parte II (1974) – 4.5/5

A questão de qual Padrinho filme é o melhor provavelmente nunca será respondido, mas há muitos que afirmam que parte II é uma melhoria acentuada em relação à parcela inicial de Francis Ford Coppola. Não só aumenta as apostas e oferece mais informações sobre o personagem de Michael, mas O Padrinho: Parte II também tem um dos melhores finais de filmes de todos os tempos.

Michael Corleone é um dos personagens mais interessantes já filmados, e O Padrinho: Parte 2 é praticamente apenas um exame detalhado de sua personalidade e sua psicologia, o que o torna incrivelmente emocionante de assistir e ainda mais emocionante de dissecar e analisar. Cada cena parece importante e necessária, o que pode não ser verdade sobre as outras duas partes.

1 O Poderoso Chefão (1972) – 4.5/5

Don Corleone vestindo um terno e sentado em O Poderoso Chefão.

A primeira parte da obra de Francis Ford Coppola O padrinho A trilogia é amplamente considerada um dos melhores filmes já feitos, então não é surpresa que também seja a coroação da carreira de Diane Keaton até agora. Ela interpreta Kay Adams, a esposa do protagonista Michael Corleone.

O padrinho praticamente criou o gênero gangster no cinema, e sem sua narrativa intensa e arte imaculada, há muitos filmes que agora consideramos clássicos que simplesmente não existiriam hoje. É por isso que o filme é tão elogiado, mesmo cinquenta anos após seu lançamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

aleatório

Hipoteca também é conhecida como "empréstimo garantido por casa" ou "refinanciamento de propriedade". É um tipo de empréstimo em que o devedor coloca um imóvel como garantia para garantir o pagamento da dívida.